Arquivo da categoria: 1

Susto!

Padrão

Juro que levei um susto quando parei para olhar a data do meu último post, me pergunto onde foram parar todas as palavras que aqui deveriam estar? E os sentimentos? Quantos sentimentos perdidos, jesus!?!

Só nesse último mês eu devo ter rascunhado dentro da minha cabeça pensante mais de 8 textos, alguns lindos e cheios de amor, outros cínicos como deveriam ser. Sei que se perderam, jamais conseguiria os reescrever. Escrever é vômito para mim. Escrever é terapia momentânea e abuso da imaginação, e me faz muita falta.

Entretanto, relendo alguns textos vejo que apesar do tempo ter voado algumas coisas nunca mudaram, meu amor por alguns, minha eterna briga para equilibrar a(s) balança(s), minha força para lutar pelo o que quero, minha TPM, meu mau humor e meu sorriso, alguns sonhos que continuam no plano metafísico, alguns bons e velhos amigos (e para surpresa da garota que romantiza a amizade como perdi amigos nesses últimos anos, meses, o que me fez perguntar muitas vezes se o se tornar adulto é sinônimo de se tornar egocêntrico). Enfim, mais do mesmo eu diria. Sem grandes guinadas, sem grandes surpresas, porém com muitas coisas boas, outras nem tanto, mas ces´t la vie. Então, talvez eu estaria só reciclando o de sempre, não sei, sei que os textos se foram e com eles  a intensidade do ato descrito.

Sei que quero escrever mais, tenho sempre tanta coisa para exorcizar e harmonizar, tantas para dar risada e reinventar um fim melhor, ou pior. Porém amanhã a vida volta para correria e não sei quando sentarei aqui novamente para conversar comigo mesma, espero que logo, espero que eu encontre um jeito, antes que eu sufoque, antes que eu esqueça, antes que eu desiste novamente de ser mais eu.

Postado ao som de vários mantras, após a queima de um incenso puxado e um banho de ervas!

 

 

 

 

 

Dez Meses

Padrão

Perdi a conta de quantas vezes sentei aqui neste mesmo lugar e tentei escrever, “colocar no papel” um dos tantos textos que declamei mentalmente, expor sentimentos, comentar fatos ou simplesmente criar uma nova história porque a do momento estava muito chata para inspirar algo.

Mas em cabeça, e coração, não se manda, e quando ela não quer, ela não quer. E minha cabeção não quis muitas coisas nesses últimos dez meses! Ela não quis se incomodar com o cara do buraco, nem se sentir culpada pelo cara que nunca vai estar. Ela não quis se empolgar pela menina bela, nem pela bela mulher. Não quis saber da Filosofia, mas a desgraçada se sente culpada e anda batendo a cabeça por aí. Ela não quis comer salada, nem andar 1h por dia, porém quis tomar todas as cervejas que tinha direito, dançar sempre que possível, ver todos as outras cabeças que sintoniza e encarou o seu sonho de liberdade com toda a felicidade e medinho do mundo. Ela resolveu viajar em alguns momentos que não era preciso e em outros que eu precisava do encanto, ela me enterrou no chão. Essa mesma cabeça teimosa e cheia de TPM e bobices, resolveu paralisar por um bom tempo e de repente pulou e começou a correr atrás de um grande sonho.

E cá estou, com quase 36 e mais 7kg, um carro batido na garagem, a motoca do lado linda, uma casa em reforma pra acolher meu mundo, meu preto dormindo em paz do meu lado e alguns bons amigos a caminho de casa.

E parada ou não, a vida que segue, e com isso, lá se foram (ou não) dez meses.

Postado ao som de tantas e tantas músicas ;)